domingo, 24 de maio de 2009

...continuação


...a madrugada estava chegando ao fim. No horizonte se podia ver os primeiros raios de sol e eu, enrolada num lençol, observava da varanda do quarto esse despertar. Quieta e sozinha... ouvia meus pensamentos... sentia no coração um turbilhão de sentimentos e, aos poucos absorvia melhor tudo pelo que tinha passado no dia anterior... desde a chegada ao sítio até a discussão dos meninos... tudo sendo pesado e medido pelo corpo e pela alma... A maneira com que eles me cuidam, o carinho, as caricias... tudo o que recebo numa avalanche de sensações e descobertas. Cici... deixei escapar um suspiro ao lembrar do tesão estampado em seu rosto... senti-la em mim foi tão saboroso quanto tê-la... sabor agridoce, cheiro de fêmea. Instintivamente, levei meus dedos ao nariz e aspirei meu desejo e fundi alembrança dela... as mãos, a carne, as pernas... tudo no meu cheiro lembrava a ela... a sensualidade em que me tocou, me beijou... me comeu... senti meu sexo esquentar, pulsar... "humm como ela chupa gostoso", pensei encolhendo as pernas contendo o tesão... abri os olhos e senti no rosto a brisa fria que me arrepiava... O 'D' me arrepia... com seu jeito, ele me leva a experimentar as mais loucas sensações... de tantas coisas a melhor era o Oscar. A simples lembrança do nosso encontro me fazia molhar... Deixar que ele me amasse foi realmente um presente pra mim... A cada dia me sentia mais ligada aos dois e, naquele momento não conseguia me imaginar sem eles... Meu coração doeu... pequenininho dentro do peito, senti uma palpitação... não queria ficar sem eles... Fechei os olhos e um medo me fez suspirar... me senti só, perdida num pensamento que me fez doer a alma... '-Eu te amo!" As palavras do Oscar me fizeram ascender... comecei a pensar se ele sentia realmente o que disse sentir... eu os amava. como? não sei... apenas aceitei que podia ter esse sentimento multiplicado dentro do peito que, no momento me doia... quanto mais me doia, mais me encolhia tentando me resguardar... senti uma mão afagar meus cabelos... era o Oscar..."-Vem pra dentro, tá frio aqui! "... levantei e, ao olhar pra ele, me deixei desvendar... meus olhos mostravam minha fraquesa, minha insegurança... não queria que ele me visse mas era tarde... de pé, do lado de dentro estava o 'D'... mãos na cabeça, olhos tristes... havia acordado e não me vendo na cama acordou o Oscar e desceram me procurando pela casa quando lembraram que a porta da varanda do quarto estava aberta...

-Não faz isso... assustou a gente, sabia?!
-Eu não queria, desculpa...
-Faz assim não...(falava o Oscar me segurando a mão)
-Desculpa... (escondi o rosto entre as minhas)
-Amor,... olha pra mim, olha?!(pedia o 'D')

olhei para cada um deles e, num suspiro, joguei aquele ar pesado pra fora dos pulmões como se fosse possível esvaziar do peito a dor. O dia já se mostrava nublado e frio... nos vestimos e fomos até a cozinha. Seu Juca estava esperando do lado de fora com uma vasilha cheia de leite fresco e um bolo de fubá... Cheirinho bom que invadia a casa enquanto eu preparava o café e ouvia a Cici cantarolando...

-Bom dia!!!(ela e sua alegria que me faziam bem... era o que eu precisava)
-Bom dia Cici! Toma café com a gente?(perguntei enquanto ganhava um abraço)
-Tomo sim! Meu pai vai chamar uns três peões pra ajudar no telhado do curral...

...e ia ela me contando dos estragos que a ventania e a chuva fizeram enquanto o Seu Juca seguia conversando com os meninos...

-Olha!...(me puxou Cici mostrando, por baixo do vestido, a marca que eu havia deixado)
-Que é isso?! Eu fiz isso??
-Hunrun... rsrs e eu adorei!!
-Doida!...rsrs( me tascou um beijo e um tapinha na bunda)...-Quero mais!
-Eu também...(disse a seguindo até a porta)
-Me beija?
-Cici... aqui não. Teu pai... (tascou outro beijo e me puxando pela cintura)
-Só um beijo? Só um?!...

encostei ela na parede e não me contive... passei a mão por baixo da barra do vestido e senti suas coxas quentes... subi e molhei os dedos... "-Safada... tá sem calcinha..." a beijei sem pudor e meus dedos escorregaram fácil provocando um gemido entre os dentes..."-Isso... assim..." me dizia ela enquanto apertava seu corpo contra o meu... "-Doida... " mas eu não conseguia parar, eu queria sentir ela em minha mão... senti-la por dentro... ela levantou o vestido até a cintura e se abriu pra mim... desci... seu grelo entumecido aflorava entre os lábios e me deliciei, suguei... "-Chupa... chupa forte..." chupei forte segurando entre os lábios enquanto meus dedos sumiam... "-Cici?!"... senti sua xota envolver e apertar... seremos pegas!... o gozo se preciptou e a fez latejar e se contorcer mordendo o dorso da mão pra abafar o gemido... rapidamente me levantei e lhe ajudei com o vestido... "-Cici??" quando seu pai chegou, estavamos sentadas e eu, não consegui segurar o riso... ria de nervoso... "Vocês meninas vivem fuxicando... Tô indo, heim... ajuda a menina aqui na casa."..."-Tá pai!"... Seu Juca se foi e o 'D', nos olhando, perguntava o que havia acontecido... quando o Oscar me beija, sorri... "-Suas safadas!"... o 'D' nos olhando completa: E nem nos esperaram, né?!... Riamos, apenas riamos... de mãos dadas, voltamos para a cozinha pra terminar o café... Aquele seria um longo dia... um delicioso dia...

quinta-feira, 14 de maio de 2009

Meu medo...


Humm... um bom banho, uma comidinha gostosa e muito, muito cafuné... A chuva ainda era forte mas o vento já havia cessado... Estavamos os três conversando na sala quando não aguentei e bocejei de sono... também pudera, depois de um dia inteiro desfrutando do amor deles e tendo a presença da Cici... ninguém era de ferro... muito menos eu. Os meninos fucaram ali mesmo no sofá e eu entre os dois... cabeça no colo do 'D', pernas sobre as coxas do Oscar. Nossa... era tão bom sentir o que eu sentia, ter o que eu tinha e, saber que os dois cuidariam de mim com carinho... Eu já estava cambaleante de sono mas ainda sentia os dois ali... Oscar massageava de leve minhas pernas... com uma das mãos segurava o joelho e com a outra apertava suavemente minha coxa... o 'D' passeava os dedos no meu rosto... uns fios de cabelo pra lá... uns pra cá... eu sorria um sorriso inebriado e já não conseguia manter os olhos abertos mas, antes de adormecer completamente, pude ouvir o início de uma "conversa" entre os dois... Naquele momento as palavras eram sem sentido... o que me lembro, é vago...

"-Dorme amor, dorme... descança...(dizia o 'D' tocando meus olhos e me acarinhando as sombrancelhas)
-Ela fica tão bonita assim, né 'D'?
-É... e como cresceu nesse tempo que tá com a gente, né?!(risos e acho que sorri também... o 'D' fez shiii... e colocou a mão em meu ouvido)
-Dorme, meu amor... (sussurou)
-'D', tenho que falar , acho que estou gost...?!
.
Acordei ainda de madrugada... tinha apagado e os meninos me deixaram ali mesmo no sofá. Havia um lençol sobre minhas pernas e meu travesseiro estava quase caindo... Espreguicei, sentei e vi que eles não estavam na sala... Ouvi suas vozes vindo da cozinha e resolvi ir até lá. Quando me aproximei da porta, já ia perguntar algo quando ouvi o 'D' bufar...: " NÃO! Você NÃO vai fazer isso!..."
.
-Cara, eu não sei o que fazer!?... Eu tô pedindo a tua ajuda... !
-Oscar, faz o seguinte... dá um tempo. Isso,... dá um tempo pensa direito... você...
-Que tempo?! Pensar em quê? nela?!... isso é o que eu mais faço... pensar nela...
-Calma, cara... calma!
-Que calma 'D'? me diz?? Minha vontade é de ir lá e...
-Que coisa feia!... (me assustei com o 'D' pertinho de mim... não o percebi chegando)
-Ai... que susto! Feio são vocês dois discutindo a essa hora... O que foi que aconteceu?!
-Sabe o que foi?!... É que...
-A gente vai embora cedinho e o Oscar tá pensando em ficar por aqui, não é, Oscar?!(interrompeu o 'D' de um jeito estranho que parecia não querer que o Oscar falasse algo comigo)
-Poxa... logo cedo?!... Eu queria ficar até o fim da tarde... Fiquei de ajudar a Cici.
.
Os dois não se olharam e senti que minha presença interrompeu uma discussão feia... Fui na direção do Oscar e ele se virando me estendeu os braços e sentei em seu colo.Quando olhei pro 'D', ele estava com o olhar igual ao do meu pai quando reprovava algo que eu fazia... mas ele olhava diretamente pro Oscar. Sentada em seu colo, não recebi seu abraço, ao contrário, ele respirou fundo e me pediu pra sair... Me pediu pra sair do seu colo?! O que foi que eu fiz?? Ele levantou "pesado" da cadeira
... Olhar fixo ao chão, passou as mãos nos cabelos que estavam soltos e começou a se distânciar indo em direção ao quarto... -Oscar,... me espera!?.../ O 'D' me deteve segurando minha mão dizendo que ele tinha que ficar sozinho, para pensar... Olhei nos olhos do 'D' e perguntei firmemente o que ele havia feito com o Oscar... ele me puxou de encontro ao peito, beijou-me a testa e num abraço me disse:
.
-Meu amor, no coração da gente cabem milhões de sentimentos. Uns bons, outros nem tanto e ai vai... Ele está confuso com os sentimentos dele. Ele está sentindo o que pode ser uma coisa passageira e está sofrendo por medo de perder...
-Igual o medo que eu tenho de perder vocês?!(senti o 'D' estancar a respiração e o corpo)... é igual?!... igual a esse medo que eu tenho?!
-Não... o dele é maior... dói mais...
.
Abracei o 'D' e senti uma dorzinha no coração... uma falta do Oscar ali conosco e o medo me deu calafrio... Pedi pra falar com o Oscar antes dele dormir e o 'D' fez que não com a cabeça... Pedi novamente, fazendo dengo, ele me olhou nos olhos por alguns segundos e disse não. Mais uma vez pedi mas, o fiz com mais carinho deixando meu corpo pedir também... Ele sorriu, me beijou o rosto e disse vai me dando um tapinha na bunda... Ri! Bati a porta do quarto e abri antes do Oscar dizer algo... estava sem camisa sentado a beira da cama esmurrando o travesseiro... o pôs por trás da cabeça e se jogou com tudo na cama... "O que você quer?!.../ Poxa... vai brigar comigo?..." Fui caminhando, sentando... deitei-me ao seu lado me aconchegando e pedindo pra ele me deixar ali... Respirou fundo e pediu que não fizesse aquilo... que ele estava cansado... Levantei-me e olhando-o nos olhos perguntei se não gostava mais de mim... Ele levantou da cama me apontando o dedo dizendo pra eu nunca mais falar aquilo, nunca mais... que eu não podia dizer uma coisa daquelas... e uma das pessoas que ele mais gostava era eu... E foi falando e gesticulando e andando em minha direção e me abraçou... me afagou os cabelos... me fez prometer nunca mais dizer aquilo... "Eu te amo, menina... te amo!!" e me abraçou mais forte e eu lhe disse do medo que tinha de perdê-los... que não iria suportar ter que ficar longe deles... O 'D' entra no quarto e seu olhar segue acima da minha cabeça... sem saber que eles se entreolharam eu estendo meu braço em sua direção e o chamo para perto de nós... ''-Me abraça, 'D'...vem..." No abraço seguro o soluço... respiro fundo e me deixo ir... eles sentem meu choro e me acolhem num abraço que lembra a nossa primeira vez... "-Eu amo vocês... de verdade! Tenho medo de perder vocês e se vocês brigarem não vão mais ficar assim comigo..." Silêncio... afagos... beijos... A paixão e o tesão que existia não demorou a se mostrar e fizemos a única coisa que poderiamos fazer naquele momento... nos deitamos... eles?,... me amaram...

quinta-feira, 7 de maio de 2009

Oscar... - continuação

-Acorda dorminhoca, acorda!
-Hun?!... quem?!
-Vaaamoooos, acoooordaaa!!(Cici me balançava e me agitava na cama igual a uma criança)
-Calma ai...(pedia eu rindo com suas cocegas)
-Vai dormir até amanhã, é?
-Até amanhã?... mas acabamos de... MEU DEUS!!! É NOITE?! É NOITE?!!(gritei eu espantada pulando da cama)
-Claro que é!(disse ela fazendo careta e rindo do meu medo)
-Cici,... é noite! estou perdida! Meu pai vai me matar!!
-Mata nada...(ria ela levantando da cama e indo abrir a parte interna da janela) Tá vendo?... TÁ VENDO?!

E eu via... chovia forte e o vento açoitava a janela do quarto como se fosse arrancá-la e criando um assovio estranho que fazia a Cici rir e levantar as mãos fingindo que ia me pegar... A cada assovio "da janela" ela fazia BOOO... BOOOO me fazendo soltar um sorriso. As luzes da casa piscavam quase se apagando e estavamos sós no quarto. De repente, um estrondo fez a casa tremer e ela pulou em mim gritando de medo... cai numa gargalhada que quase me tira o fôlego... O 'D' passou pela porta no segundo seguite com os olhos arregalados olhando para todos os cantos do quarto e perguntando o que havia acontecido... Desabei no chão sem ar... riamos as duas da cena e ele, sem entender nada, se pôs a 'ralhar' com nós duas. E quanto mais 'ralhava' mais riamos... Outro estrondo, agora bem mais forte e seguido de um som extranho nos fez parar de rir e correr para a cozinha... Um raio havia acertado em cheio a jaqueira que ficava na lateral da casa e pudemos ainda ver seus galhos caindo e folhas sendo levadas pelo vento... Ao longe, um grito pedia que entrassemos... Era Seu Juca... vinha correndo preocupado conosco... Foi quando notei o 'D' e a Cici olhando pra mim. Me olhavam dos pés a cabeça... eu estava completamente nua... e o pai da Cici se aproximava... Não tive pernas pra correr. Quando ele já estava quase dentro da varanda é que o Oscar me puxou com tudo e se enfiou comigo no banheiro...
.
-Tá doida?(perguntou ele, bravo que só)...TÁ DOIDA?! (perguntou uma segunda vez me enchendo os olhos de lágrimas)
- Não... é que... é que...
.
Mão na boca... "shiiiiiii"... fez ele me pedindo silêncio, Seu Juca estava encostado na porta do banheiro... se ele me visse ali, nua com o Oscar seria o fim! O 'D' e Cici sabiam que estavamos ali e tentavam afastá-lo enquando o telefone toca...
.
- Vem Seu Juca, vem pra sala!
- Vamos pai, vamos pra lá?!(pedia Cici enquanto ouviamos as vozes já um pouco mais longe)
- Cadê teu primo?
- Está no banho...
.
No banheiro, respiravamos aliviados. Ainda nos braços do Oscar, mesmo na penúmbra, pude notar que estava enrraivecido. Ele foi tirando a mão da minha boca e perguntando baixinho o que eu estava fazendo nua na varanda. Respondi que sai do quarto num impulso e nem me lembrava que estava nua. Ele respirou fundo como que se livrando da raiva e reprovou minha falta de atenção. Foi quando percebeu que me fez chorar... eu não esperava aquela reação dele mas sei que estava certo, por pouco não acabei com o fim de semana e lhe arranjei uma tremenda dor de cabeça. Mas, estavamos ali eu e ele. Eu nua em seus braços sentindo seu calor, sua respiração... recostei a cabeça em seu peito e beijei seu pescoço... "shiii" fez ele... relaxei a tensão do corpo e deslizei minhas unhas em seu peito... arranquei-lhe um suspiro e senti suas mãos se afrouxarem de mim... A presença do Seu Juca, a poucos metros de nós e mesmo a forma áspera com que ele havia usado pra falar comigo, me deixaram exitada... quando coloquei minha perna entre as suas senti seu membro e ele gemeu, colocou as mãos em minha bunda e a apertou... desci lambendo seu peito e senti seu mamilo eriçado... o corpo arrepiado e outro gemido me diziam pra continuar e, continuei. Devagar, passei o trinco na porta e fui na direção do umbigo... enfiei minha língua ali e suguei... abri sua bermuda e o beijei por cima da sunga que não conseguia mais conter sua exitação... o ajudei a se livrar dela e me coloquei de joelhos... não o tocava com as mãos só com os lábios... beijava e lambia... passei a língua na virilha descendo até o saco e deixando ela passear por lá... como estavam quentes. Seu pau entumecido batia de leve no meu rosto... eu chupava cada uma das bolas chegando a colocar as duas na boca... ele não conseguia abafar os gemidos... megulhou os dedos em meus cabelos segurando minha cabeça e esfregou tudo aquilo em meu rosto... abri a boca já sedenta e deixei que ele a penetrasse... suavemente... cada centímetro prolongava seu gemido e faziam minhas unhas se enterrarem em suas coxas... o senti inteiro... me segurou por alguns segundos e me afastou... novamente... alguns segundos e lágrimas me encharcaram o rosto... estava quase sufocando... segurei suas mãos levando-as para trás de seu corpo e lhe engoli... senti a glânde na curva da garganta e o soltei... mais uma vez... e outra... e latejou... pulsou e explodiu... tremendo, na ponta dos pés, tentou conter o grito e graniu baixinho apertando minhas mãos ao mesmo tempo que projetava o quadril a frente... senti todo o gozo quente me inundar a garganta... no clarão do raio que cortava o céu, pude ver em seu rosto o caminho de uma lágrima... deixou-se largar sentando no chão do banheiro e me abraçou... Senti seu coração e a respiração descompassada... novamente, repetiu as palavras: "EU TE AMO!"... desta vez soou mais profundo... quando ia me beijar, uma batida forte na porta nos assustou...
.
-Podem sair...(disse o 'D')
-Ele já foi?(perguntei me enrolando numa toalha)
-Já sim! (respondeu indo na direção da porta para fecha-la) Já foi e levou a Cici.
-Quei doideira! (riamos os três)
-Oscar, meu pai ligou dizendo pra passarmos à noite por aqui.... o negócio está feio por lá. Pediram pra tomarmos conta dessa mocinha!( disse me abraçando e sorrindo )
-Então, mo-ci-nha... já pro banho! Daqui a pouco é hora do jantar...(brincou Oscar)
-E o que vamos comer?(pergunto eu tentando conter o riso e me afastando deles)
.
...os dois se olharam, puseram as mãos no queixo como que pensando e... partiram correndo atrás de mim...

segunda-feira, 4 de maio de 2009

Carinho do Meu Tesão

Aos amigos, com carinho!
Beijos no coração!