segunda-feira, 17 de agosto de 2009

No carro...


Estavamos com tudo pronto para irmos embora. Chegamos na casa principal e ouvimos o telefone tocando. Era a mãe do 'D'. Depois de falarem por alguns minutos o 'D' nos avisa que deveriamos ir logo pois a previsão era de muita chuva no fim da tarde e não poderiamos mais nos demorar. Triste, Cici nos abraçou e nos beijou... era uma pena não podermos ficar mais. Enquanto ela nos ajudava a colocar as coisas no carro, eu prestava atenção no Oscar... realmente, ele estava com um sorriso nos lábios e seu semblante nem lembrava as feições de preocupação de logo cedo.

-Que foi menina?... Vai ficar me olhando agora, é?(perguntou-me ele sorrindo ainda mais)
-Sempre... você sabe que eu gosto do teu sorriso... e não implica comigo, viu!(riamos)
-Vocês dois vão ficar de conversinha, é?... Daqui a pouco eu me enfio nesse carro e só volto no Natal!...(Cici brincava mas a percebiamos triste)
-Minha linda... não fica assim... Logo, logo a gente volta e te prometo uma bela surpresa!!

O 'D' a olhava enquanto o Oscar, ao abraçá-la, tentava conter-lhe uma pequena lágrima... Olhando uns para os outros, notamos que nenhum dos três queria ir embora... Seu Juca, que vinha se despedir viu a cena... Ele sabia que a filha ficava as vezes muito sozinha e que nossa presença ali a deixava muito feliz... Ele coçou a cabeça e, se aproximando do 'D', comentou que até deixava ela ir conosco mas, ela tinha que ir para a casa da tia. A prima fazia aniversário naquela semana e já haviam combinado tudo... Cici disse que só voltava no outro fim de semana mas que numa outra oportunidade iria ficar com a irmã do 'D' e passar um dia comigo. Adorei a ideia e vi um pouco da tristeza sumir... Nos despedimos mais sorridentes... entramos no carro e partimos. Eu olhava pelo vidro Cici e Seu Juca caminhando de volta pra casa... o céu com um pouco de sol, ia mudando enquanto nos afastavamos do sítio e já anunciava a chuva... Oscar, olhando para o relógio, disse que chegariamos rápido se a estrada estivesse realmente liberada... Para sorte nossa estava mas o trânsito não ajudou muito... Já na rodovia, o 'D' me pergunta se eu faria as mesmas coisas que fiz, com Cici, mas com outra mulher... respondi que sim e ele completou..."-E se ela quiser fazer o que eu fiz?"... Olhei para o espelho e seus olhos estavam agitados esperando a resposta... cheguei para a ponta do banco e ficando entre os acentos dianteiros coloquei a mão no ombro de cada um e disse:" -Só se o Oscar estiver junto." Ele, olhando para o Oscar, disse-me: "- Ficaremos os dois... Iremos apenas olhar..." Ri sabendo que seria difícil eles ficarem só olhando... Pelo sorriso que deram seria mesmo impossível. E iamos conversando , brincando e lembrado dos acontecimentos do sítio quando notamos os primeiros pingos de chuva. O que parecia ser apenas uma chuvinha passageira se transformou e em poucos segundos o trânsito estava mais lento... um pouco mais à frente tivemos que parar, uma colisão fez dois carros ficarem atravessados na rodovia... nenhum ferido grave mas teriamso que esperar... Raios e trovões clareavam tudo ao redor mas, mal se podia ver os carros com os vidros embaçados. Um trovão e um estrondo forte me fizeram ficar assustada... aproveitei...

-'D'... tô com medo...
-Mas o que foi?(pertgunta Oscar me olhando pelo retrovisor)
-Tô com medo...(outro estrondo e me encolhi)
-Calma, menina!(disse o 'D' pulando pro banco de trás)... eu fico aqui atrás com você... Mas porque esse medo agora?(Oscar sorriu e virou o rosto pro 'D' não ver)
-Não sei 'D'...

O 'D' me abraçou forte e fiquei ali encolhida no seu colo... O trânsito estava totalmente parado e o que podia ser visto do lado de fora do carro eram contornos borrados e, com certeza, ninguém estaria nos vendo e sabendo o que estava acontecendo dentro do carro... Encolhidinha no seu colo, beijei seu pescoço... ele me olhou e sorri... "-Você me enganou, né?!"... Oscar soltou uma risada e disse: aproveita!... O 'D' olhou para os lados e percebeu o mesmo que eu... ninguém podia nos ver! Me livrei da calcinha e puxei sua bermuda... abaixei e comecei a lhe chupar... ele soltou meus cabelos do coque que eu havia feito e segurou em suas mãos me fazendo manter um vai e vem bem lento... ouvir seu gemido me deixava mais molhada e ele gemia baixinho e dizia besteiras... segurei seu saco e comecei a lamber... chupava macio e voltava a a mamar... fiquei alternando e, em pouco tempo, ele deixou a mão livre e pude me movimentar como queria... senti a mão do Oscar me acariciar a perna e subir... ele me tocou passou a me masturbar enquanto eu mamava no 'D'...

-Humm... como está molhada...(Oscar enfiava o dedo e tocava no meu grelo)
-Tá molhadinha é?(perguntava o 'D' e eu respondia que sim com o balançar da cabeça)
-Então senta aqui, senta...(me virei e sentei de costas pra ele)
-Isso... senta gostoso nele e mama meu pau,... vai!(mandou Oscar)

Ele abaixou o encosto do banco e se virou pra mim... seu pau já estava pra fora da calça e o coloquei na boca tentando abocanhar o máximo que podia... O 'D' já havia abaixado as alças do vestidinho que eu usava me deixando os seios a mostra. Os vidros estavam ainda mais embaçados e, acho, ninguém prestava atenção ao saculejar do carro... O 'D' me segurava pela cintura já me fazendo sentar com força... mal conseguia chupar o Oscar de tanto que gemia... "-Vem... quero meter!"... Oscar se ajeitou como pode e me virei... tentei cavalgar mas a posição não ajudava muito, voltei a chupar o 'D'... Oscar veio socando... entrava e saia me fazendo cravar as unhas no 'D'...

-Isso... isso minha putinha... geme... morde o pau dele...
-Assim... eu gozo 'D'...
-Vai... goza gostoso no meu pau, vai...
-Não... agora não... quero mais...
-É?... quer mesmo?... então você vai ter...

Oscar meteu mais forte e fundo... eu tentava me segurar mas já não conseguia mais... estar ali de uma maneira que poderiamos ser pegos me exitava ainda mais... o 'D' deitou no banco e conseguiu abocanhar mei seio... sugou forte passando os dentes e não aguentei, numa estocada mais profunda Oscar me fez gozar... um gozo intenso que me fez dar gritos que foram abafados pelo trovão... rápido mas gostoso, delicioso... Ele sentou no bando de trás ao lado do 'D'... e então começei então a chupar os dois alternadamente... Chupava e masturbava... demorava quase nada em cada um e , quando os senti ofegantes, acelerei o vai e vem e em alguns segundos pude sentir o primeiro jato de gozo do 'D' na minha boca... ele gemia a cada jato e quase não pude engolir... lambia o que escorria e voltava a chupar até não haver mais nenhuma gota... senti o pau do Oscar latejar na minha mão... "-Agora você!" três chupadas firmes e ele gozou... inundou minha boca e meus ouvidos com um gemido gostoso... Adorava ouvi-los gemer... minha satisfação em cada gemido que tirava deles me fazia feliz... sabia que havia feito gostoso... Quando levantei a cabeça sorri ao ver os dois da mesma forma: cabeças jogadas no encosto, olhos fechados e bocas semi abertas, ofegantes... gemendo baixinho... poucos segundos pra se refazer. Ouvimos buzinas e vi luzes piscando... os carros iam lentamente se movendo e o de trás piscava chamando nossa atenção... Oscar voltou para o volante ainda com a calça aos pés... se arrumava e ia saindo lentamente... Foi quando percebemos, eu e o 'D' que no vidro do lado direito do carro haviamos de alguma forma passado a mão e tirado um pouco o embaçamento... o motorista nos olhava com um sorriso safado e balançava o indicador mostrando que havia visto o que aconteceu no carro... o 'D' riu e eu dei um tchauzinho fazendo cara de envergonhada... ele, com um movimento de mão daqueles que sabemos que a pessoa pergunta ' e eu?' mostrava que havia gostado do que viu e que queria também... o 'D' , retribuindo o gesto dizia:" -Não... você... fica na mão..." Riamos dentro do carro e ele se foi dando tchauzinho e esfregando o olho como quem havia ficado triste... Arrumei o vestido e deitei no colo do 'D'... Quando chegamos já havia escurecido e eles me levaram direto para casa. Um oi pros meus pais... uma ajuda para pegar a mochila no meio da bagunça na mala do carro e se foram... Entrei contando da chuva, dos ventos, do telhado do curral e eles dizendo o quanto ficaram preocupados contando como havia sido a tempestade por ali... Uma bronca, umas risadas e tudo bem... fui pro meu quarto separar as coisas e me trocar... minha mãe entrou no quarto com uma outra sacola e perguntou porque eu estava com aquela cara de preocupada?! Disse a ela que havia esquecido algumas coisas... Um "ai,ai você não toma jeito" e saiu do quarto... A única coisa que realmente faltava era uma, a calcinha que havia deixado dentro do carro!... Se os meninos pegarem e guardarem tudo bem mas ,o pior seria se o pai do 'D' a encontrasse... ou a mãe dele!... Ai sim, eu deveria me preocupar...