sábado, 9 de janeiro de 2010

sentimentos...


Tentei não adormecer mas quase não conseguia manter os olhos abertos... O 'D' conversava tentando me fazer prestar atenção mas não... lentamente, adormeci... O barulho da chuva se misturava ao som da voz do 'D' que ia ficando distânte, sussurrada... Ouvi quse nitidamente o som do mar enquanto a onda quebrava na rocha... Senti o frio da bruma e a marêsia me envolverem... Olhei ao longo da praia e ele estava lá... vindo na minha direção. O 'D' sorria e levava o dedo aos lábios como quem pede silêncio... ele se aproxima e me beija e sinto outro alguém me tocar...

...Meio acordada, meio dormindo, sinto me percorrer pelas costas nuas a úmidade e a macies de mãos, dedos e língua. Sinto o calor do hálito na nuca e o arrepio eriçar os bicos, os pêlos... a alma... Lambeu-me a orelha, mordeu-a... Suspirou num gemido longo e profundo quando tocou meu seio e o sentiu... em meu peito o coração acelerava e quando apertou-me o bico gemi... estanquei o corpo, abri os olhos e a boca... me virei "-Amor?!..." e calou-me com um beijo... Ai o Oscar... enquanto me tocava senti outras mãos... estavam em meus pés e iam subindo, apalpando... apertando. "Mãos que naufragam no meu mar"... Assim eles diziam e era assim que eu me sentia, um mar... O segurei firme e quase lhe implorei... "-Me dá, na boca!"... e me deu... chupei e suguei com saudade... o queria inteiro. Ouvi seu gemido e me deliciei... é um prazer a mais . Olhei nos olhos e o fiz saber que o devoraria... aceitou e o devorei, sem dó... o fiz curvar de prazer e de dor num gemido gutural...

-Isso...(disse quase sem se ouvir)
-Até a nuca?!(perguntou o 'D')
-Éhhhhh(ele conseguiu responder...)
-Maluca...
-ahhhh... adoro isso...
-Vou ficar... quero ver vocês...

e viu... o viu sumir... De joelhos, corpo arqueando e eu por cima o fazendo deitar... olhos fechados... lágrimas brotando, rolando... quase sem fôlego... saiu e voltei sem trégua... faminta! Quase o fiz gozar! Mas eu queria... queria sentir o gozo... matar a vontade, a saudade ...

-Espera... (...) assim eu gozo!...
-Eu sei...(respodi entre uma lambida e outra...) e eu quero... tou com saudade... de vocês ...

ele me detem... me olha profundo... senta, sorri, ri... me afaga os cabelos e segura meu rosto me beijando de um jeito só dele. Ele sabe como sou, como me deixam... como fico... Eles sabem que eu os desejo, que são meu desejo, meu tesão, minha perdição... Eles me teem com o coração como não se pode... Me deixam viver os sentimentos e as emoções e me ensinam... me amam. Eu sei que não nos limitamos quando nos queremos e podemos estar juntos... nos entregamos como poucos e eles me fazem bem. Me fazem feliz....

-Então vem... Vem de quatro! Vem matar a vontade... a saudade, vem...
-Ai Oscar...
-Vem... dá pra mim, dá?! Vem matar o 'D' de inveja...

Fiquei de quatro... pegando fogo! A muito, muito tempo que não acordava assim queimando de tesão querendo e ganhando tudo. Ele passou pau molhado por toda a minha xota e entrou escorregando devagar me deixando louca e saiu lento... fez um vai e vem me segurando, tentando manter um ritmo doce e eu querendo mais... mais forte... mais intenso!!

-Vai... mais forte...
-Não...
-Por favor Oscar... (rebolava com força e ele me segurava...forçava pra que eu ficasse quieta)
-É do jeito que eu quero...(disse me penetrando mais fundo e lento)
-Do jeitinho que queremos...(quando o 'D' falou senti um arrepio)
-Vem... ( disse Oscar)

e me pôs de pé e cada um me beijou... tentei me manter sã mas o tesão não deixava... queria os dois com loucura! Meu corpo sentia suas vozes, seus cheiros... odores misturados e cheios de prazer... Cada toque me vinha como pequenos choques na pele me fazendo gemer...suspirar. A boca ofegante de beijos e palavras desconexas... Os olhos fechados me davam a sublime sensação do flutuar entre os dois... seus corpos me amparavam, me guarneciam de desejo. Me falavam ao ouvido com voz mansa e eu os tinha... um em cada mão... cada qual no seu jeito... e os dois dentro do peito ardendo, batendo fazendo o coração experimentar o que me marcaria para sempre... e entre eles eu me deixava. Senti o latejar mais forte e desci... Na boca, um de cada vez... Com a vontade mais controlada, os deixava, em seus ritmos, deslizarem lábios a dentro... um de cada vez... os dois de uma vez. Os dois me acariciavam a nuca... pousavam as mãos nos meus ombros, seguravam meu rosto... me beijavam... me alimentavam de si no melhor do sabor... quase gozaram... quase... Me deixaram de joelhos. O 'D' afastou a cadeira e junto com Oscar puseram o colchão no chão... Oscar deitou-se e me chamou... sentei sobre ele e comecei um cavalgar lento de mãos espalmadas e olhos nos olhos até que num gemido ele os fechou e mordeu o lábio... gemi... delirei e acariciei o seio... passei as mãos pela nuca levantando os cabelos e vi o 'D' ao meu lado, de pé... o puxei... veio até minha boca e ali ficou... se deixou... um ritmo gostoso se fez e senti o corpo pedir mais... Ele sentiu, viu nos meus olhos quando o olhei e ouviu no meu gemido o pedido de poder tê-lo novamente dentro de mim... Oscar me puxou e me beijou no mesmo instante em que um raio quebrou no céu... O 'D' deitou-se ao nosso lado e começou a me acariciar... Oscar saiu e me deixou no meio dos dois..."-Impina essa bunda pra mim.!" ... pediu ele me segurando e me puxando... molhou e pincelou seu pau em mim... aos poucos o fui sentindo me penetrando... devagar... adoro sentir assim, cada centímetro me invadindo o ânus de uma forma que quese me faz gozar... eu gemia... pedia mais... e lentamente ele me dava. Quando se viu inteiro em mim, ritmou um vai e vem que cadênciava minhas mãos no pau do 'D'... E me beijava, me lambia o ombro e a orelha e gemia baixinho em meu ouvido..."-Te amo!..."...Devagar, o 'D' foi se encaixando... uma delicia de sentir... encontrou meu seio, passeou a língua, mordeu... suspirou ao me olhar nos olhos... "-Te amo!..." ...gemi baixinho sentindo o coração descompassar, me arrepiando a pele. Faziamos amor... um amor lento como numa pelicúla antiga... amor de paixão doce, de impregnar... embriagar... Tantas pernas entrelaçadas, mãos... suspiros, o gemido, os sussurros... a sensação dos dois por dentro... no corpo, na alma, no coração.... a cumplicidade de me dar, de me fazer sentir o prazer e perceber o quanto eu os dava, na mesma intensidade do dar sem tabu, sem pecado, sem medo... Olhares que se cruzam como num bailar e, em meu corpo os senti mais profundos... acelerandos... queimando... as palavras sumiram... as mãos gritavam no apelo do mais e os corpos falavam... sentiam a agonia do êxtase que nos aproximava do gozo... delirando, gemendo... grunindo... estancando os corpos... tremendo, mordendo... buscando o ar... eu, Oscar... segundos depois o 'D'... Assim, num prazer obtido, findado, imaculado... sem fim, sem querer acabar e acabando de acontecer. Olhos cerrados... fechados... Três corações inebriados e o meu coração somado. Era um fim de tarde tempestuoso onde enxarcavamos as almas de luxuria, desejo, paixão e, porque não, amor... Nos amávamos, nós nos amamos e eramos amigos e amantes nos momentos únicos que nunca se repetiam mesmo tendo sempre os mesmos personagens com os mesmos desejos mesmo que numa outra vez. Amantes... amados... "- Eu te amo..." deixei fluir... saiu verdadeiro... como eu sempre quis que fosse... Deitados na mesma posição do ato como numa proteção instintiva... com os mesmos cansaços e, com as mesmas certezas e, com um sorriso nos lábios onde eles me deixaram ir para os braços de Morfeu...